segunda-feira, setembro 24, 2007

Legalização um assunto cada vez mais na ribalta...

Vou deixar aqui um texto que fiz para a "Revista Adeptos", onde lhe dei o título de Ser ultra não é um Crime…

"Ser ultra não é um Crime, mas actualmente em Portugal parece que é… Agora com este novo fenómeno da legalização das Claques parece que somos todos uns criminosos onde os nossos ficheiros têm de ser depositados, mas porquê esta obsessão, será que em Portugal somos assim tão violentos??, os casos de violência são uma constante???
Entendo que uma claque deverá constituir-se como uma associação por uma questão de filosofia própria de cada grupo, ou por uma melhor gestão/organização, não por imposição de alguém.
Queria deixar uma reflexão sobre o que o protagonista Laurentino Dias disse recentemente, que as claques tinham 30 dias para iniciarem processos de legalização ou eram proibidas de actuarem, mas quem é que me vai impedir de comprar um bilhete mais uns amigos e me juntar numa bancada, de cantar, de bater palmas pelo clube do meu coração? Vão proibir a colocação das faixas, baseados em que Lei? Será que quando os grupos estrangeiros visitarem Portugal também vão ser proibidos de colocarem faixas? Por fim qual a diferença de uma claque ou de uma qualquer casa do SLB, FCP ou SCP? Será que estes também terão de depositar os seus ficheiros na CNVD?
No grupo a que eu pertenço (MN) estamos também a discutir esta problemática, no entanto estamos bastante fragilizados, pois teremos provavelmente de ser “carneiros” e ter de ser como os outros. Em Portugal vai-se pelo caminho mais fácil, e neste caso na grande maioria dos grupos que foram na frente as questões financeiras dos dirigentes e dos próprios grupos ficou em primeiro plano. Irrita-me que os grande lideres que vão à TV, Macaco, F. Mendes, etc não se tenham preocupado minimamente em reunir os lideres dos principais grupos e discutir esta questão, tentar arranjar a melhor forma de encarar tudo isto. Mas não, assim é mais fácil, legalizo, logo já recebo montes de bilhetes e guito para orientar o grupo… Passamos a ser uns vendidos…

Mas o que me preocupa é que se calhar nós na Mancha Negra também iremos ser forçados a ir por este caminho, se bem que no seio do grupo a MN ser uma associação juvenil já é um facto aceite, por questão de gestão/organização do grupo, agora preencher o resto dos requisitos é que ainda não estamos de acordo, tanto que somos todos sócios da Académica, o que nos faz a nós diferentes dos demais sócios do clube? Então deveremos mandar a listagem de todos os sócios da Académica para a CNVD sendo eles elementos da Mancha ou não. Será que somos diferentes dos sócios da Casa da Académica de Lisboa ou do Porto ou de Leiria?? Não vamos à bola como eles, somos somente ultras e amamos o nosso clube e temos a nossa forma de estar…
O que me deixa verdadeiramente aborrecido é o facto de ninguém querer lutar ou de querer expor o nosso ponto de vista, é mais fácil rendermo-nos…
Assim se mostra a merda de sociedade que é a Portuguesa e em questão o movimento ultra, sem atitude e sem opinião, enfim uns carneiros que vão todos atrás uns dos outros…"


Depois disto deixo aqui uma reflexão para abrir um debate sério que se petrende, sendo certo que acho importante todo este tipo de discussão mas...

1º Quando há mudanças é normal haver resitência a essa mesma mudança. É sempre assim e é histórico na nossa sociedade...

2ª Relativamente a todos terem opinião nesta matéria, relembro que quando estava na liderança da MN realizei um jantar onde estiveram presentes 2/3 elementos por núcleo (na altura em que os havia) e mais socios de vários quadrantes e todos se devem lembrar como foi e o que de lá saiu... NADA, porque todos se preocuparam em discutir o seu umbigo.Ainda relativamente a essa reunião fiquei com a ideia que realmente a direcção com a Sua organização é quem deve traçar os destinos da claque, quando não tiverem essa capacidade ou saiem ou dão lugar a outros. Lugar a outros é o que não me parece existir, pois muitos falam, criticam quem está a dar a cara, mas dar a cara e aparecer para tomar as rédeas é que nada, ninguém aparece. Além do mais constituir a Mancha como uma Associação até a integra nos novos padrões de sóciedade, a Democracia, ai como gosto desta palavra...
Ou seja assim que a MN tiver constituida como Associação Juvenil, ou como núcleo oficial da AAC ou mesmo como Casa da Académica dos Jovens de Coimbra MANCHA NEGRA, será eleita uma lista, terá de haver eleições, onde todos poderão apresentar projectos. Depois é essa lista vencedora que depois irá decidir se enviará os ficheiros ou não para a CNVD.



3ª Quem comigo priva sabe que sou da opinião de a Mancha ser tornada numa Associação Juvenil, por uma questão de gestão de Grupo e de protecção dos elementos que dão a cara, com contabilidade organizada de modo a acabar com muitos diz que disse existentes... Agora relativamente ao resto o meu texto diz o que penso.

4ª A malta da Velha Guarda, com aqueles com quem falei, estão numa posição mais fácil, pois todos têm com maior ou menor dificuldade poder para chegar à TBZ e comprar um bilhete de época a 70 euros + 120 de quotização da AAC e juntar-se num sector e cantar e berrar pela Briosa como têm feito ao longo destes quase 23 anos, mas é esta a Mancha que se quer com meia dúzia, que já o fomos e ninguém tem vergonha, ou queremos uma Mancha com alguma pujança e que permita a jovens alunos do secundário juntar-se à claque e poderem usufruir de consições bantante mais razoáveis para poderem apoiar a Briosae desta forma sermos muitos mais e melhores ao seu apoio????

5ª Jogos fora também não é problema pois os que viajam actualmente iria viajar na mesma, com um aumento dos preços, para o Bessa hoje nunca seria a 10 euros, pois só o bilhete na bilheteira custa 20 euros...

6ª Será que as claques estando legais não seriam um factor positivo, para poderem ter mais força para lutarem nos orgãos competentes do futebol, para se lutar por melhores condições tais como horários dos jogos, preços de bilhetes, condições nos estádios, etc. Para quando a representração dos adeptos e em especial as claques nas AG da Liga e da FPF??


7ª Para exigirmos respeito também temos de respeitar, acontece que nunca temos sido respeitados, e a nova prova disso é a prepotência com que a Policia aborda esta questão, ou seja não colocam faixa por que não, onde está na lei a dizer que não se pode colocar uma faixa que não tem dizeres racistas, não apela à violência, não tem dizeres de extrema direita, ou seja Mancha Negra enquadra-se nisto??? quando esta situação acontecer, ou seja que o material da claque não entrar nos estádios, quero ver quantos de vós que aqui atrás do teclado defendem o que defendem se indignarão e farão frente a este estado de coisas!!!

8ª Hoje em dia mais vale ser traficante de droga, violador ou assaltante do que ultra, pois se fizeres acto violento numrecinto desportivo és julgado no dia a seguir e condenado, se fizer outro tipo de vrime ´+e libertado e ficas a agurdar julgamento em liberdade... enfim é a justiça que temos. Adeptos Criminisos de primeira...

8ª Em Coimbra sempre fomos contestatários e lutámos contra as injustiças sociais, temos vontade de continuar a honrar o passado da cidade, da academia e da MN, vamos ver até onde podemos ir...

A corda vai esticar....

16 comentários:

Anónimo disse...

Como é sabido a minha posição de hoje e de sempre é a de não legalização da MN, por tudo o que esta forma de vida que ainda acredito me ensinou ao longo destes anos. Legalização Não.

Roger Sousa

Anónimo disse...

Por opção própria estou afastado das curvas faz 2 anos, embora alguns digam que foi o casamento, a verdade é que precisava fazer uma pausa.
Durante muitos anos, acompanhei a nossa Briosa e posso dizer que tenho Muito Orgulho de tudo o que fiz até hoje pela e na MN, a nível pessoal essa dedicação trouxe algumas nódoas negras, problemas no trabalho, com os pais, etc !
Ainda hoje não perdi alguns hábitos antigos, à segunda vejo todos os jornais para ver se tem algo da MN (agora mais raro), quando ando de carro aqui na cidade e vejo algo numa ponte, vou mais devagar para ver se é uma faixa nossa.
Durante esta pausa para reflexão, muitas foram as vezes que me apeteceu viajar com os meus amigos e apoiar a Briosa, por vezes dei por mim ao domingo a acelerar no trabalho porque estava quase na hora da partida, mas depois lembrava-me que não ia.
Ainda hoje, o meu telemóvel tem centenas de contactos das viagens que ajudei a organizar, é com orgulho que vi a MN a crescer, é com orgulho que participei no elaboração do CD, é com orgulho que ainda hoje vejo alguns estandartes pintados por mim serem usados na curva, é com orgulho que vejo que a amizade com o Grupo Manks ainda existe, é com orgulho que leio o livro da MN, é com orgulho que admiro as minhas tatuagens, é com orgulho que vejo fotos das coreo e das mega transfer que a malta fez, é com orgulho que jamais vou deixar de sentir a MN, é com orgulho que vejo que um dia ainda vai ser possível ver o meu filho pertencer a este grupo!
Acredito que a malta mais nova, não vai deixar morrer o grupo, embora sinta uma enorme vontade de regressar à”minha família”, sinto que ainda não chegou o momento, pois não estão reunidas as condições para o efectuar com a dedicação e empenho que sempre disponibilizei.
Neste momento não sou sócio da MN e claro sendo opção minha tal condição, aceito que a proposta de legalização seja discutida e aprovada por quem de direito, no entanto e se me é permitido, devo dizer que sou Totalmente Contra a Legalização.
Num país minado de políticos corruptos, pedófilos, traficantes, querem os senhores do futebol e da governação, fazer das claques o bode expiatório para todos os problemas!
Se a MN não se legalizar que vai acontecer? Vamos todos perder os valores da MN - amizade, entreajuda, dedicação, irreverência, sacrifício, solidariedade?
A MN somos nós, eu nunca vou deixar de sentir a MN, posso estar afastado mas o bichinho está lá! Agora não vou deixar que os xulos e corruptos deste País me tratem como um criminoso só porque amo a Briosa!
É possível a MN sobreviver sem apoios, é possível a MN viver da Alma dos seus GERREIROS!!
Eu acredito que sim, decidam o que decidirem, brevemente me juntarei a vocês!

Eu Abraço a toda a “Familia”!
AMAVEL PRATA

Nuno Q. Martins disse...

Boas!

Hesitei se devia escrever algo aqui, uma vez que este blogue, apesar de público, é um local privilegiado de discussão entre os elementos da MN, mas penso que não me levarão a mal atendendo ao alcance transversal do tema em discussão.

A questão do registo dos GOA (Grupos Organizados de Adeptos) no CNVD já não é de agora. Simplesmente, após os incidentes verificados no ano passado no Estádio da Luz pelos Super Dragões, a questão voltou à ribalta nos "media" e o poder político, tão sensível aos temas mediáticos "aqui del rei que é preciso pôr a mão nas claques!".

A minha opinião pessoal, a qual o JP bem conhece, está bem patente nas posições que o meu grupo (os UAN) tê assumido sobre esta questão. A Lei é má e tem lacunas que devem ser aproveitadas por nós em dois sentidos: revisão da mesma (seria a melhor solução) ou incumprimento da mesma por ausência de mecanismos de controlo.

Não tenham dúvidas que daqui a uns meses este assunto "morre" e a questão dos apoios dos clubes às claques fica adormecida na incapacidade das autoridades para fiscalizar permanentemente essas situações.

Deixo-vos dois links onde podem conhecer a forma como os UAN estão a lidar com esta situação:

http://bancadanorte.blogspot.com/2007/09/auri-negros-psp-cnvd.html

http://bancadanorte.blogspot.com/2007/09/domnio-e-eficcia.html

Cada um segue o seu caminho, mas que cada qual o siga em consciência.

Saudações Ultras!

VR disse...

Tal como já manifestei junto da direcção, sou contra a legalização e acho inclusivamente que se perdeu uma grande oportunidade de afirmação da Mancha no mundo ultra nacional. Sendo um grupo de reacção e estando em causa princípios a meu ver fundamentais, a Mancha podia e devia ter estado contra esta legalização desde o primeiro momento. No fundo, está em causa a regulação legislativa de uma sub-cultura que não é por natureza regulável. Dizem que querem controlar a violência no desporto mas onde está a verdadeira origem da violência? Os nossos governantes, antes de se preocuparem com meros grupos de adeptos, que o que querem é apenas apoiar a sua equipa, deviam era preocupar-se em resolver os problemas sociais que criam condições para a violência se instalar, tanto no desporto como em outras actividades da nossa sociedade. É preciso ter bem noção que uma das intenções desta lei é responsabilizar as direcções dos grupos pelos problemas que apareçam e sendo assim como fica o princípio da lealdade? Lixam-se os elementos da direcção que têm que assumir os problemas ou lixa-se quem criou os problemas, mesmo que sem intenção? Com os dados pessoais na CNVD acho que já todos sabemos a resposta. Mas claro que concordo com a responsabilização de quem cria problemas, mesmo que implique medidas drásticas, mas a nível interno. Nesse aspecto, há várias formas de controlar o grupo, assim exista autoridade para tal, e penso que só assim se poderá manter a identidade de um grupo ultra como a Mancha Negra, com inteira lealdade, confiança e amizade.
Todos estamos sujeitos a leis, tal como quaisquer outros cidadãos, e querer enquadrar simples grupos de adeptos numa lei específica é ridículo. Agora, o que precisamos de decidir é se realmente estamos dispostos a eventualmente perder regalias na defesa de uma posição, de uma forma de pensar, no fundo da nossa identidade enquanto grupo. Para mim, a Mancha Negra é bem mais que uma faixa ou que uma coreografia de vez em quando. Somos sócios da Académica e ninguém nos pode impedir de ir aos jogos e apoiar a Briosa. Com bilhetes mais caros, provavelmente iremos menos ver os jogos mas os que lá estiverem poderão dizer que lá estão com ainda mais orgulho porque não cederam perante imposições ridículas e absurdas. Além disso, como sócios de plenos direitos que somos, podemos perfeitamente pressionar a direcção do OAF em Assembleia Geral para manter alguns apoios, mesmo que de forma encapotada. Depois temos ainda as modalidades para apoiar, o que nos permitirá manter o grupo sempre activo. Este fim-de-semana decorreu, como sabem, o torneio de basquetebol dos 120 anos da AAC e uma das coisas que mais me marcou foi ver a quantidade de miúdos e graúdos que são atletas da AAC com inteira dedicação e apenas no basquetebol. Num dos intervalos dos jogos, houve uma pequena coreografia das miúdas mais novas e acreditem que foi dos momentos mais espectaculares vê-las ir ao centro do campo, reunirem-se em círculo e em uníssono gritarem ACADÉMICA ACADÉMICA ACADÉMICA, com um orgulho sincero de quem gosta realmente das cores que representa. Isto para dizer que o futuro, tanto da Académica como da Mancha, está nos miúdos que se forem bem cativados se entregam incondicionalmente tal como nós já nos entregamos. Vai ser com todas estas regulamentações que os vamos cativar?

Anónimo disse...

E a MN ja se legalizou?:)


boa sorte para o jogo de segunda :)

DC disse...

Também me devo manifestar contra a legalização da Mancha Negra, pois não aceito, não consigo mesmo aceitar, que no meu país eu seja discriminado e tratado de maneira diferente dos restantes cidadãos, só porque decidi apoiar o meu clube de forma "diferente". Não aceito, principalmente sendo da MN (que felizmente, não tem nos ultimos anos grande historial de violência) que sejamos tratados como perigosos indivíduos, só faltando a pulseira electrónica com feixe de choque eléctrico comandado à distância.
Somos, acima de qualquer coisa, um grupo de adeptos. Não vejo os restantes adeptos terem que se registar em nenhum sítio, sem ser na secretaria da AAC/OAF para se tornarem sócios da nossa instituição. E se nos quiserem catalogar não de adeptos, mas sim de potenciais focos de violência, tenho a dizer que não percebo porque se viram os nossos governantes para o futebol, e não para sítios onde a violência é uma prática bem mais comum. Bairros sociais onde matam polícias, zonas onde ninguém se atreve a ir de noite, ou por falar em noite, e as discotecas? Não fecham?? Quantas são as discotecas em Portugal, que não registam casos de violência pelo menos semanalmente? Não vejo os seus utilizadores terem que ser registados em nenhum lado, ou serem impedidos de frequentarem as casas nocturnas.
Tanto como cidadãos, que acho que nos devemos impor contra a discriminação e injustiça, tanto como adeptos de futebol, que devemos lutar pela nossa maneira de estar nos estádios, creio que a MN deveria impor-se contra quaisquer pressões ou exigências com que não concordamos. Tal como se disse já aqui, são os grandes valores da MN que fazem a nossa grandeza, e esses valoresnão dependem das leis ou das autoridades, dependem só de nós, e do quanto os queremos preservar.
O nome da Mancha nunca deixará de estar nos estádios, mesmo que algum dia nos impeçam de entrar com a faixa. Os nossos cachecóis ou t-shirts estarão lá, e a nossa voz a gritar o nosso nome ninguém calará, e acima de tudo, e isto sim é que interessa, a Briosa saberá quem somos e onde estamos, pois a nossa forma de estar é inequiparável e inconfundível.

"Remar remar, Forçar a corrente"
David Carvalho

Anónimo disse...

Gostaria de começar por realçar um ponto de vista aqui referido anteriormente, que também para mim e no meu entender um sincero e sentido ideal, passo a citar: "uma grande oportunidade de afirmação da Mancha no mundo ultra nacional. Sendo um grupo de reacção e estando em causa princípios a meu ver fundamentais, a Mancha podia e devia ter estado contra esta legalização desde o primeiro momento"(vr). Neste seguimento manisfestar a minha opinião, a qual sou contra o rumo e esta forma de legalização, classificando-a como uma imposição absurda e discriminatória. Espero sinceramente uma não cedência e luta a esta medida, que no meu entender poderá contribuir positivamente para uma mais união e força do grupo.

Legalização Não! Liberdade para os verdadeiros adeptos!

Santa +velho

Anónimo disse...

Com o sem sermos legalizados só digo isto.
Um dia em cheio é estar na Mancha a cantar
Um dia em cheio é ver a Briosa ganhar
Um dia em cheio é beber até cair
Um dia em cheio é foder até me vir

Tiago_RedBoys disse...

Antes de mais peço desculpa pela invasão ao vosso espaço...Assumo que sou leitor assíduo mas evito sempre comentar por sentir que este blog é vosso mas como este assunto diz respeito a todos achei por bem dar a minha opinião...

A minha ideia vai de encontro a todas dadas até aqui...Como é lógico ( sinceramente não percebo como há pessoal dentro das claques que possam concordar com tal...) sou TOTALMENTE CONTRA A LEGALIZAÇÃO...
Por falar nisso legalização porque?!Eu sou ilegal?!Será que passar 90 minutos a cantar, de bandeira, cachecol ou estandarte na mao,saltar,bater palmas,etc é alguma ilegalidade?!Claro que não é...Ilegal é o que muitos politicos e dirigentes do nosso futebol fazem...E a esses alguem pede satisfações?!Nao...antes pelo contrario.Sao esses mesmos que achando-se donos da razao vem para a merda das televisões mandar bitaites...Porque razão me querem diferenciar dos restantes adeptos do Braga?!Eu sou socio há 13 anos, tenho as quotas paga para toda a epoca, tenho lugar anual...Sou menos do que os outros?!

Muitos tem medo de lutar contra isto ( honra aos DV, que odeio, mas que tem sido dos unicos a fazer alguma cena...)com medo de perder as regalias?1Mas afinal ao que chegamos?Nos somos bonecos que dependemos do clube?(a minha unica dependencia é o amor que sinto pelo ENORME SPORTING CLUBE DE BRAGA...)Vamos para a luta...Nao vamos baixar as calças...Vamo-nos deixar de merdas...Quem realmente ama o clube nunca deixará de ir à bola por nao ter as tais faclidades...

PODEM-ME PROIBIR DE LEVAR AS BANDEIRAS,OS ESTANDARRTES,TAMBORES,CACHECOIS,
MEGAFONES,MAS HÁ UMA COISA QUE NUNCA ME IRÃO TIRAR: A VOZ...ENQUANTO FOR VIVO IREI A QUALQUER ESTADIO GRITAR BEM ALTO O NOME DO BRAGA...

Abraços de alguem que nunca se renderá...

Anónimo disse...

Ainda á pouco acabei de ver o video no Youtube dos DV neste jogo contra o Sporting e acho simplesmente fantástica a Força, motivação e a verdadeira resistência Ultra mostrada por eles. Acho que se todas as claques se unissem e fizessemos o que os DV estão neste momento a fazer aos poucos começava-mos a demonstrar a força que as claques têm no mundo do futebol... Até lá continuo a dizer NÃO AO FUTEBOL MODERNO!!!
RESISTÊNCIA ULTRA SEMPRE!!!!
NÃO Á LEGALIZAÇÃO DA MN!!! Lutem agora ou rendam-se para sempre

Anónimo disse...

Muito bom o protesto no jogo de hoje com o Leixões.

Uma óptima ideia, bem realizada, com impacto (o noticiário das 24h já fez referência), muito divertida e que pôs a nu a barbaridade dos horários dos jogos, e, infelizmente, demonstrou que a Académica não tem adeptos.

Sem a Mancha Negra parecia que os espectadores sócios da Académica estavam num velório.

Nem um pio se ouvia....vergonha!

Anónimo disse...

E nos estamos ou n legalizados, ou vamos estar??Grande ideia, foi lindo ontem, somos unicos...E para continuarmos a ser NÃO a legalização.

Briosa vamos partir
...

Anónimo disse...

Não ha legalização...sem bandeiras nem estandartes k se foda...basta estarmos presentes a apoiar e ninguem nos calará no apoio ao 4º grande ...

Excelente coreografia, mostrou-se o porke de sermos diferentes....

Sabes como é....

DUARTEPEDRULHA

Anónimo disse...

Nas notícias publicadas na página da Mancha, lembrem-se que nem todas têm acesso público por isso registem-se e façam login para poderem ler tudo.
FORÇA BRIOSA!

Anónimo disse...

estamos ou não legalizados ou vamos estar muito brevemente??

Anónimo disse...

ainda não estamos nem vamos estar