segunda-feira, janeiro 30, 2006

A dura vida de fazer estandartes …


As minhas coreografias favoritas sempre foram aquelas que metiam estandartes e fumarada …ainda me lembra quando a MN aderiu às novas técnicas de desenhar estandartes e começou a usar retroprojector para que os desenhos fossem mais perfeitos e elaborados, sim porque nem todos desenham como o Branco …
Nada melhor para se fazer uma grande quantidade de estandartes, do que um espaço amplo onde o pessoal pudesse trabalhar à vontade e onde houvesse a tal máquina para facilitar o pessoal do desenho … o Roger lançou a ideia “ que tal em SCD na sede dos escuteiros” e assim foi a malta combinou um sábado à tarde para trabalhar…a classe operária apareceu em peso, Gordo, Quaresma, Eu, Ba, Ferrão, o Roger e claro o Kapo (acho que o Branco não alinhou na modernice? ele depois confirma).

Chegados a SCD (14h:00) foi preciso descarregar a mercadoria dos carros, como alguns de nós não tinham tomado o café da tarde, lá fomos até ao mercado …sabem como é, atrás de um café vem uma cerveja e outra e outra, até que alguém diz “e porque não um kilo de camarão!” …a malta olhou uns para os outros e pensou, porque não!!! Dito e feito lá veio o kilito, à volta da mesa Eu, Ferrão, Ba, Quaresma …o Gordo estava noutra mesa já não me lembra com quem …mas esse pessoal era só becas…nós era o kilito e o belo Whisky Vat 69, aquilo escorria como mel…agora me lembro o Camões também foi!! Entretanto o pessoal (Roger e JP) que ficou na sede dos escuteiros começa a dar sinal de nervosismo porque o carro onde a malta veio ao café tinha as canetas para desenhar …ligam para nós e a malta responde “é só um café vamos já” … e assim foi pedimos mais um kilo de camarão, uma rodadada de Vat e segue para bingo … a esta rodada o gordo já pairava na nossa mesa a gamar camarão …ele não queria entrar na despesa mas não parava de rapinar o prato !!! Quaresma dava sinais de nervosismo “ assim queres comer também pagas “, estavam a ver o Gordo a pagar?? …mais uma vez o JP liga a pedir as canetas e a mandar vir que a malta veio para desenhar e que era uma falta de respeito !!! a malta lá se resolveu e arranjou alguém para lá ir levar as canetas …nós foi mais um kilito e claro o famoso Vat que já começava a bater … Quaresma começa a desatinar com o Gordo, ele tinha acabado de gamar mais um camarão, a discussão estava a ficar feia ... e não fosse a malta a acalmar e aquilo tinha descambado sim porque para alem dos camarões agora o Gordo já sondava o Vat também …o que salvou a situação foi o roger ligar a chatear “ vieram para trabalhar ou comer, o meu pai está a assar carne e vocês ainda não fizeram nada !!!” …a malta pensou é melhor ir afinal viemos para trabalhar e assim foi.
Chegados à sede o JP e o Roger estavam doidos … blá blá blá…blá blá blá …o pessoal do copo acaba por descobrir o assador e o pai do Roger e claro umas cervejas que ele tinha…”que bela tarde de trabalho” dizia eu.
Com o chegar da noite e o trabalho quase feito, surgiu a ideia de ir até a um bar … assim foi, uma bela esplanada ao ar livre com uma vista para o rio, umas belas de umas mesas de plástico e as canecas de cerveja em cima que mais podia a malta desejar depois de uma tarde de trabalho árduo!!! A certa altura o Gordo começa a picar o Quaresma para lhe gamar a caneca, como já estavam picados da tarde aquilo ia acabar mal!!!E não demorou muito, com mais uma investida do gordo o Quaresma levanta-se e com aquela bela barriga vira logo uma mesa e agarra o gordo que por sua vez vira outra e a confusão está instalada, os Gordos só com o movimento de ancas viravam as mesas cadeiras e canecas e a certa altura estava a confusão instalada, os Gordos discutiam a plenos pulmões o dono queria chamar a GNR …HE HE HE …que lindo!!! Felizmente tudo acabou bem.


Um Abraço à classe operária que me acompanhou no banquete …

Amável Prata

Hoje acordei com azia...


Segunda feira, dia dificil para a maioria dos Portugueses, depois de um tradicional fim de semana acordar cedo e ir trabalhar, por si só já era motivo para acordar mal... Mas hoje acordei com uma azia do caraças... A minha Briosa precisa de pontos, como ultras que somos gostamos de apoiar até à exaustão, a Mancha como sempre tudo faz para tentar mobilizar o maior número de ultras que pode, preço de viagem e bilhete acessivel, 10 euros, mas não vai muita gente, cerca de 40 ultras... que se passa??!!!
Mais uma vez a merda que é este nosso futebol Português, Segunda Feira, 8H30 um jogo de futebol... Muito Motivador para todos irem, faltarem a um dia de trabalho, um dia de aulas... Etc.
E porque razão é que o jogo vai-se realizar a uma segunda, o Setubal ou a Briosa jogaram na semana anterior para as competições europeias??? Não, mas se jogassem e depois, os jogadores são profisionais, nós não trabalhamos todos os dias? Eles não treinam todos os Dias? e como os treinadores gostam de dizer treinem como jogam, logo não se compreende determinados adiamentos.... Quem sofre com estas coisas todas? Os mesmos de sempre, os galegos que alimentam esta indústria chamada futebol, o pacóvios que logo vão estar no estádio e pagar o bilhete do jogo, provavelmente a 15 euros, depois de pagar viagem e bucha, em suma os ADEPTOS.
O que faz com que o jogo tenha de se realizar a uma segunda-feira?? É verdade a caixinha mágica... A Televisão e os seus interesses. Domingo dia de ir à bola por natureza, como a Briosa não jogou peguei no Diário de Coimbra, percorri a agenda desportiva e procurei jogos da distrital para ir ver, havia o jogo do outro clube de Coimbra para ir ver, e lá fui passei por Taveiro, Estádio Sérgio Conceição e deparei-me a ver futebol ao domingo à tarde, que satisfação...
Cheguei a Casa e fui ver o que estava a dar na Sport Tv, Futsal. Será que sería muito complicado o Jogo da AAC ser tranmitido domingo às 14H00 ou quem sabe às 17H00? Eu não sou contra a TV, sou contra os horário que a TV impõem para a realização ds jogos. Todos sabemos da importânia que a Tv tem nos orçamentos dos Clubes, só queremos que ela Respeite mais os adeptos... Um dia sem adptos no estádio o negócio Tv também tem tend~encia a morrer, saibam alimentá-lo não se afastem dos adeptos do estádio, criem condições para as pessoas voltarem aos estádios, baixem os preços dos bilhetes e transmitam os jogos em dias e horas decentes (Sábados e Domingos entre as 14H00 e as 19H00)
Mas se calhar sou eu que sou parvo e doido por num dia especial como o de hoje estar a ir para Setubal ver a Briosa, tendo que sair mais cedo do trabalho e deixar a famila para trás...
JOGOS ÀS SEGUNDAS-FEIRAS BASTA!!!!
TEMOS SAUDADES DOS JOGOS AOS DOMINGOS
JP74

Bruxelas - A ida ao Europeu de 2000 (episodio 6.1)


Não fiques triste amigo Azoriano, aqui vai um verdadeiro acrescento a esse dia...
Bruxelas... para mim talvez a melhor noite que passamos nesta aventura... Após um belo repasto de comida de plastico belga, não há nada como a comidinha lusitana da Avó, fomos até à praça central de Bruxelas, sim aquela que apareceu nas noticias tendo havido lá confrontos, essa mesmo. Após lá chegar-mos vivia-se e repirava-se futebol, a itália tinha ganho à Suécia e andavam carros a apitar com bandeiras italianas, Virei-me para a Malta e disse hoje é que vai ser italianas louca à solta, ainda vamos marcar golo...
Na praça Central ficámos deslumbrados com a beleza de tal espaço, magnifico a arquitectura era bestial, diferente do que estamos habituados, vislumbrámos uma bar com as cores Lusitanas e reparamos que era mesmo de um Português. Sentamo-nos na esplanada e começamos a reparar que nas esplanadas circundantes havia imensos adeptos de outras selecções, Dinamarqueses, Suecos cheios de azia, e alguns ingleses, os nossos adversários dois dias depois...
Começamos a agitar o ambiente e logo se soltaram os primeiros Cânticos. Aqueles canticos pareceiam um despertados, os outros adeptos começaram também a entoar o seis cânticos quando reparamos que saiem de dentro do Bar Portugues cerca de 50 ingleses famintos para aquecer o ambiente, a malta da Cova-Gala pouco habituada a estes ambiente começou logo a stressar... Num abrir e fechar de olhos estavamos rodeados de Ingleses e sobretudo para nosso espanto de Jornalistas, imensos Reporters fotográficos e camaras de TV. A bomba estava prestes a Rebentar.. Mas nada acabaria por se passar...

Após bebermos uns copos e de trocarmos impressões com aquela malta do futebol seguimos viagem rumo ao segundo objectivo da noite, casa de Strip...
Foi logo na primeira que encontrámos, não se era boa ou má mas entramos logo, lá dentro estava carregado de ingleses, Suecos, e agora de Portugueses... Era um strip diferente elas não tiravam a Cuequinha, era o Strip Americano onde se metem notas na cueca das gajas. A partir de agora não vai haver referências a nomes para não criar problemas a ninguém...
A malta cheia de vigor dizia como é possivel meterem dinheiro nas cuecas das gajas gastar dinheiro para isso, ao menos gastava-se para fo... O bar estava mesmo vbem pensado, estavamos sentados à volta da passarel eonde elas dançavam, a sintura delas estava mesmo colocada ao nível das nossas cabeças, ou seja o cheirinho da rata penetrava indiscretamente nas nossas narinas atingindo gravemente o nosso cerebro. A partir desse momento a cabeça de baixo é que mandava.
A determinada altura entram uns turcos no Bar, agora é que esta merda rebenta mesmo... Os Ingleses que lá estavam deram ao slaide rapidamente, não fosse saltar alguma facada, eles viraram-se para nos a perguntar donde eramos ao que mostramos que eramos de portugal, fomos logo bem acites por eles e a troca de bebidas foi uma constante. Aquela malta estava carregada de Dolares, or adolares gajas.. foi um fartote, aquilo é que foi meter notas... Após uma grandes show entra mais uma modelo para o palco, há que reconhecer eram do melhor as gajas que lá estavam. Essa nova gaja estava a dançar e ninguém estava a colocar lá notas, ela vem ter com um dos nosso e diz-lhe alguma coisa ao ouvido, ficou louco o rapaz, tinha acabado de dizer que não gastava nem um escudo e foi vê-lo a largar a nota, o pior é que largou de tudo, desde notas de escudos, na altura não havia euros, a notas Belgas já fora de circulação a noas antigas de 20 escudos que pareciam Dolares. Após o show veio ter com o rapaz a convidá-lo para irem para um sitio mais privado, ao qual ele lhe perguntou quanto era, depois de fazer o cambio era cerca de 80 contos ao que ele lhe respondeu "no thanks"...
Muitas foram as peripécias e nessa noite para alguns determinados nomes não lhes sairam da cabeças... Érica é um dos que me recordo...Este foi só um aperitivo para os meus amigos abrirem as hostelidades nos coments...

JP74

Bruxelas - A ida ao Europeu de 2000 (episodio 6)

Fizemos Paris - Bruxelas no dia seguinte. Foi uma viagem rápida. Ficamos num hotel em frente á bolsa e mais uma vez fiquei no quarto com o Amigável e o Roger. Estes ainda galvanizados pela presença no país basco, resolveram mandar uns sacos de água outra vez lá para baixo. Nesse dia separei-me do grupo para ir ter com uns colegas meus que estavam a fazer Erasmus em Bruxelas. Era o dia 10 de Junho e numa praça central de Bruxelas estava a haver uma verdadeira festa portuguesa de comemoração do Dia de Portugal. Bifanas, fado e sardinhas numa praça cheia de tascas e com muita musica portuguesa. Jantei lá com os meus colegas e depois fui para o hotel. Acho que nessa noite os meus amigos da Mancha tiveram uma boa noite. Lembro-me de qq coisa relacionada com uma Jessica. Tou um pouco triste porque os outros 10 elementos da viagem não estão acrescentar nada ás histórias nos comentários.

sábado, janeiro 28, 2006

Alerta Laranja??


Segundo os orgãos "competentes" deste País, Portugal encontra-se sobe a accão de uma frente de frio, enquadrada num Alerta Laranja, contudo e mais uma vez mostrando que a velha guarda é completamente indiferente ao Alerta, deixo aqui uma foto que ilustra a doidice de determinados meninos numa das muitas idas a Madeira. Ai que saudade de encontrar bofias como aqueles....

sexta-feira, janeiro 27, 2006

Fotos com História


É normal num grupo que já conta com 20 anos de vida e está a caminhar rapidamente para os 21 anos ter imensas histórias e sobretudo imensas fotos. Regularmente vou passar a postar aqui uma foto nesta rúbrica a que denominei "Fotos com História".
O mais dificil nesta primeira foto é escolher uma realmente marcante entre as muitas que tenho, mas aqui vai...

Esta foi uma das primeiras fotos tiradas à Mancha Negra no grande Ano de 1985.
Esta Rúbrica serve também para lembrar e incentivar todos os demais que pretendem ter e guardar estas fotos e muito mais material que todo este espólio se encontra presente no nosso livro "20 Anos 20 Viagens".

Faz-te sócio da Académica


A Mancha Negra sempre se diferenciou das demais claques sobretudo por exigir que os seus elementos fossem obrigatóriamente sócios da Académica, o que em determinadas alturas era crussificante para a claque, pois não conseguia ter os mesmos elementos que outras claques, conseguia ne entanto ter outro tipo de virtudes, força nas Assembleias Gerais do clube, fedelidade dos seus membros pois não estavam somente ligados à claque, respeito pelos demais sócios da AAC-oaf, etc.
Agora compete-nos também divulgar iniciativas que o clube desenvolve na tentativa de Captar mais associados. Refiro-me ao Académica Pass. É um produto, onde por apenas 40 Euros, ficas sócio da AAC-oaf, com bilhete de época para o que resta da época e ainda te oferecem 3 quotizações. É fácil e barato assistir aos jogos da Briosa e sobretudo ser Sócio, fazer parte desta grande instituição.
Assim entendemos divulgar esta noticia para amigo trazer amigo para o seio da Briosa e da Mancha Negra e agariar mais sócios.
Deixem-se de paixão, mostrem o vosso amor pela Briosa. Fáz-te sócio...

Se não morri …Sou IMORTAL!!!


Aí estão elas... as histórias de quem já muitos km's percorreu ao longo dos anos... vamos lá malta toca a escrever umas linhas, o livro já tem umas poucas de históriasd dá a tua quota parte, enriquece o historial da grande Mancha Negra, mostra que estar numa claque não é ser porco feio e mau...

Ex agente Prata conta aquela que para mim foi o momento mais dramático pelo que passei, nos comentários dou mais uns ajustes...

"Uma bela tarde de Sol, pouco mais de 30 ultras da MN e um sector visitante à antiga, estes foram alguns dos condimentos para esta aventura.
Antes de mais quero mandar um abraço a um miúdo que esteve presente neste jogo, mas que infelizmente as más companhias arrastaram para a merda…espero sinceramente que consigas refazer a tua vida …Spray esta viagem é para ti.
A chegada a Paços foi normal, o sector visitante cheio de adeptos locais? vimos logo que seria uma tarde complicada e assim foi.
As bocas começaram cedo “ todos a sentar”, “tirem essa merda da rede”, “ não queremos barulho”, o mais estranho é que sempre que olhava para trás, lá estava ele… um gajo gordo para ai com 30 e poucos anos acompanhado do seu filho…era sempre ele que mandava as bocas e já sabemos como é este pessoal começa um e logo são dois, etc. E as bocas continuaram, houve uma jogada em que a briosa foi prejudicada e alguém vai a rede … o pessoal de paços começa a mandar bocas “ se estragam a rede vai haver problemas”, “ quem manda aqui somos nós e não queremos ninguém na rede” …voltei a olhar para trás e lá estava ele …o mesmo gajo de sempre era ele que agitava os outros.
O jogo continua e penso que um jogador do paços faz falta e a malta vai a rede protestar…quando volto lá estava ele no meio do pessoal a mandar vir, vem ter comigo agarra-me e eu fiquei doido “ Estás-me a tocar! Estás-me a tocar!” e perdi a cabeça aliás dei-lhe uma cabeçada que lhe abriu a cabeça e começou logo a jorrar sangue, não foi nada bonito de se ver …mas foi eficaz. Chegou o intervalo e a malta foi beber umas cervejas, durante a segunda parte as provocações subiram de tom, mas nada mais que isso. A malta ainda avisou um gordo da GNR que aquilo ía dar merda, ele responde “ vocês não lhe digam nada que eles não vos chateiam, está tudo controlado” … O final do jogo chega, o arbitro apita, os jogadores vão para os balneários, a GNR também, as luzes do estádio são apagadas e a malta fica sozinha na bancada é quando um dos gémeos que estava no cimo da bancada a olhar para a rua diz “estão uns 100 ou 200 lá fora com paus à nossa espera”, o Fritz foi ver e ... “ é verdade está toda a gente à nossa espera”…acaba de dizer isto e eis que entra na bancada o gajo que eu tinha maltratado só que desta vez vinha acompanhado chega ao pé de mim e diz “ e agora que vais fazer” … eu respondi “ eu não sei tu, vais bancada abaixo” e assim empurrei o gajo pelas escadas. Não demorou a aperceber-me que os amigos do gajo estavam ali para ajustar contas… entretanto dezenas de pessoas saltavam a rede que nos separava da central, armados com paus, pedras, e uma série de objectos que não vi mas senti e de que maneira …o mais estranho e que só me queriam a mim e ao Quaresma …”só queremos o careca e o gordo” gritavam eles ( já não me lembra porque queriam o gordo ..ajudem!!!) … aquilo foi um festim, mesmo com o pessoal da MN a ajudar, levei socos, caía e ao levantar-me levava pontapés na cara, levei pauladas na cabeça, pedradas (não atiradas, mas sim a servir de luva de box), e aquilo durou uns 15 min …o que os deixava mais revoltados é que eu não sangrava e como tal não parecia mal tratado!!!
O JPe o Camões a custo conseguiram atirar-me por cima da rede para dentro de campo, e a queda foi de chapa no relvado pois já não tinha forças. Já dentro de campo aproximou-se de mim um gajo a dizer que era o delegado da liga, mas só tive tempo de o afastar e ir para o outro lado para dentro dos balneários achava eu seguro !!! Lá dentro o médico da AAC começou a examinar-me, tudo parecia mais calmo, parecia …até que começo a ouvir alguém aos gritos “ onde é que ele está … ele veio para aqui !!!” era um funcionário do clube à minha procura …ainda tive tempo para lhe dar uma chapada e voltei para o relvado ai já estava algum pessoal da MN à minha espera e também alguns agentes pançudos da GNR entre eles aquele que dizia que nada se passaria. As coisas acalmaram, foi altura de contar os feridos, EU, o Quaresma (levou um murro com uma pedra na face e ficou com um olho mal tratado) e a Fernanda (levou uma paulada no braço que era para mim).
Entretanto vim a saber que o Tó “Paparazzi” estava a tirar fotos da confusão para as Beiras e acabaram por lhe partir a máquina.
Destino seguinte foi a esquadra da GNR … Eu, o Gordo e a Nanda … o Quaresma trazia um saco de gelo na cara, quando fomos chamados para um gabinete, ele entra e põe o saco todo molhado em cima de uma mesa cheia de processos … o Bófia ficou doido o Gordo tinha molhado tudo e para o mandar embora começou por ele… “ BI” …o Quaresma saca o BI do bolso e dá-lho … o chui não queria acreditar … “ você sabe que o BI está caducado faz dois anos” … Gordo responde … “ não tenho tido tempo” …como podem imaginar foi a risota total e o guarda não gostou e ameaçou a malta ficar detida …Por fim lá fomos e a viagem correu normalmente até Coimbra …tirando as fortes dores de cabeça e alguns galos, aparentemente eu estava bem …acabei por ir ao hospital, tive duas semanas de baixa tinha 13 hematomas na cabeça e o cabedal todo negro e dorido, mas não sangrei uma gota de sangue …
Ainda hoje continuo a dizer “ se não morri nessa tarde é porque sou IMORTAL”

Um Abraço
Amável Prata

Nota - no meu regresso a Paços, o mais incrível aconteceu, o chão da bancada estava podre e ruiu e eu acabei por cair da bancada …somente EU …terá sido castigo !!!"

Sabes que nunca estarás só...
Na primeira ou segunda Divisão
Porque tu és a Briosa
O orgulho d nosso coração...

Paris - A ida ao Europeu de 2000 (episodio 5)


Este foi o dia da viagem mais longa. Fomos de autocarro de Eibar a Paris, viagem que levou o dia todo. Para matar o tédio o pessoal resolveu jogar á moedinha. Quando a disputar a final estavam o Gordo e o Amável estes resolveram apimentar a disputa e apostaram umas chibatadas em quem perdesse. O Gordo não viu mas o Panamá estava atrás dele a dar indicações ao Amável de quantas moedas ele tinha. Claro está que o Amável ganhou e prontamente o o Gordo se virou e levantou a camisa, mostrando o lombo traseiro. Conhecendo o Amável , sabemos que ele exagerou na força da chibatada e ia havendo porrada no autocarro á conta disso. Até o motorista disse para todos nos sentarmos porque o autocarro estava a abanar. Será que o Gordo ainda tem a cicatriz das chibatadas? Como apanhamos muito transito a entrar em Paris só chegamos ao hotel depois das 23.00. Jantamos a essa hora, estavamos a morrer de fome. Depois o pessoal foi a pé até uma pequena aldeia abandonada, ao pé do aeroporto Charles de Gaulle, mas voltamos logo pois estavamos cansados da viagem.

quinta-feira, janeiro 26, 2006

Bom mel...

O melhor momento do jogo para a objectiva do Fotografo MN...

AAC-Nacional: as fotos






Depois da malta ter demorado quase 20 minutos a compor o sector, lá se cantou alguma coisinha, não muito mas que mesmo assim ainda deu para sacar umas boas fotos.

quarta-feira, janeiro 25, 2006

Madrid e Pais Basco- A ida ao Europeu de 2000 (episodio 4)

Depois do jantar em Madrid decidi ir para o quarto. Queria acordar cedo de modo a visitar o centro de Madrid que nunca tinha ido. O pessoal saiu todo á noite, mas para pormenores da noite espero que as testemunhas deixem pistas nos comentários.De manda, após o pequeno almoço no nosso hotel observamos uma crew de filmagem. Tavam a rodar uma cena de um filme espanhol no nosso hotel, e como bom observador que sou, reparei que quem estava a ser filmados , eram 3 pessoas. Um actor e 2 actrizes TODOS DE ROBE. Claro está que concluí que era um filme porno, não podia ser outra coisa. Munido da cassete de video que tinha adquirido na estação de serviço de Elvas (ver episódio 2), aproximei-me das actrizes e gentilmente pedi um autografo na cassete. Isto tudo a ser observado pelos rapazes todos. A actriz até pegou na caneta mas quando viu a cassete, que continha algumas fotos na capa elucidativas do seu conteudo, recusou gritanto , "NO NO NO, NO ES PORNO!!". A seguir, fomos apresentados ao nosso guia que era espanhol. Estavamos á espera dum gajo tipicamente ibérico, mas saiu-nos um individuo de 20 e poucos anos asiático que falava espanhol. Claro está que o pessoal , como não sabia o nome dele tratou logo de chama-lo Amarillo. Antes de abandonar-mos Madrid, fomos os 3 autocarros para a frente de um centro comercial ao pé do aeroporto de Barajas. Lá ia-mos nos juntar com os outros 3 autocarros dos vencedores do concurso da Pringles em Espanha. Lembro-me que a excitação de saber se estavam muitas espanholas nos autocarros era muita, expectativa que não saiu defraudada já que pelo menos um dos autocarros era dum grupo de adolescentes quase todas raparigas. Abandonamos Madrid rumo ao Pais Basco. Eramos suposto pernoitar em San Sebastian mas uma greve de camionistas entupia as auto-estradas e o guia decidiu que deviamos pernoitar em Eibar , uma pequena cidade perto de San Sebastian. No hotel em Eibar , voltei a ficar no quarto com o Amigável Sociável e o Roger. Claro está de noite , decidimos em Roma ser romanos, ou seja ao estilo da ETA, enchemos uns sacos de água e atiramos da janela umas "bombas" para quem passava cá em baixo. No jantar, mais uma ver Roger protestava com a comida, aquilo estava a começar a dar-me cabo dos nervos e só o ouvia dizer "as batatas..., as batatas..... as batatas" até que passei-me e começei a gritar "AS BATATAS" num mistura de Roger e uma galinha com a gripe da aves. Todo o grupo ficou a olhar para mim exceptuando a minha mesa que percebeu tudo e morreu a rir.

Tatuagens ...Afirmação..Identificação ou Arte?

Desde sempre que as Tatuagens existem e fascinam os homens, senão vejamos, a múmia mais antiga até hoje descoberta, data de 5.300 antes de Cristo, e continha uma enorme tatuagem ao longo da espinha dorsal e uma cruz numa das pernas, isto lá para as terras do Egipto, contudo este fenomeno não se centrava apenas num continente, na Poline1985-Velha Guardasia, os "maori" tatuavam-se em rituais complexos, sendo este povo destacado pela celebre "Moko" tatuagem na cara, de indole tribal, sinal de respeito e maturidade, e acima de tudo de coragem, sendo que as estranhas linhas destas tatuagens tribais, segundo eles serviriam para distrair o inimigo. Contudo também os povos Celtas e Vikings usavam em larga escala o ornamento do corpo, aqui marcadamente ligada a religião, também aqui havia tatuagens especiais como as "Tao Marik" tatuagem exclusiva dos guerreiros, que e1985-Velha Guardafectuavam este tipo de tatuagem sempre que voltavam de uma campanha sobre os inimigos. Já os Samoanos, tinham como habito marcar o corpo de todos os adolescentes quando estes atingiam a maturidade, funcionando aqui como instrumento de ascensão social, sendo que quanto mais tatuagens um individuo possuia, mais elevado era o seu estatuto dentro da Tribo.
Na Europa as primeiras tatuagens foram exectuadas na clandestinidade, visto que a igreja as via com maus olhos, sendo que na idade Media as tatuagens foram mesmo proibidas, e quem as possuia, via-se a braços com persiguições intensas, podendo mesmo ser condenados a 1985-Velha Guardamorte, contudo esta practica foi-se tornando corrente com o passar do tempo, para finalizar este enquadramento não poderia deixar de falar das tatuagens efectuadas no japão feudal, onde os criminosos eram marcados por tatuagens, e donde derivam as celebres tatuagens de corpo inteiro dos Yakuza, sinal de respeito e coragem entre os criminosos. Nos dias actuais a "arte" de tatuar, é mais ou menos generalizada, contudo existem ainda alguns preconceitos dentro das sociedades tidas como mais fechadas. Desde sempre as tatuagens tiveram diversos significados, um de afirmação perante os restantes elementos do grupo, sendo sinal de respeito de combatividade de honra de coragem, para outros simplesmente acham bonito determinada tatuagem, e exibem-na com orgulho perante os demais, a identificação com determinado assunto, ou simbolo leva também mu1985-Velha Guardaitas pessoas a marcarem o seu corpo, na Mancha Negra são varios os elementos que possuem tatuagens, umas mais ou menos elaboradas, umas com mais toque pessoal outras nem tanto, mas acima de tudo todas têm um denominador comum, a AAC/MN, apesar de não possuir nenhuma, senti necessidade de abordar um tema que penso que deve levar a um reflexão, sobre o que leva um elemento da MN a tatuar o corpo, será Afirmação.. Identificação.. ou apenas Arte? ou será um pouco de todas? deixo aqui algumas das tatuagens existentes na MN.

A familia ausenta-se... Não se afasta...

1985-Velha Guarda
Cada vez me sinto mais satisfeito por ter tido a ideia de ter criado o blogue da Velha Guarda, eu que sou um nabo nestas cenas da internet criei um blogue. No entano acho que o que a net tem de bom deve ser potenciado ao máximo, e a mensagem inicial que levou à criação deste espaço está a começar a sortir os seus efeitos, a mentalidade que a todos nós nos fez e faz estar ligado á Mancha está a começar a passar para as ondas netianas, a malta está a começar a juntar-se novamente e a ter pontos de referência e aos poucos o resto vai-se completar, espero que a breve prazo seja nas bancadas com uma cada vez mais activa participação de todos os membros da Velha Guarda, a Mancha precisa e a direcção actual certamente agradece...

"Ao Blog Velha Guarda

Após vários anos a seguir a nossa querida Briosa e a arranjar esquemas em casa e no trabalho para tentar não faltar a um jogo, eis que está perto de fazer um ano em que não acompanho o nosso clube … alguns de vocês devem pensar como é possível? Pois eu próprio não sei como consegui … mas a verdade é que precisava mesmo de fazer uma pausa.
Já me tinham falado no blog da Velha Guarda mas só hoje o visitei, após ler alguns dos textos, as saudades começaram a aperta…quem pode esquecer as chibatadas que dei ao Gordo …quem pode esquecer aquele jogo em Lamas em que não nos queriam servir no bar do Clube e eu puxei de 2 cts e paguei vinho aos velhos todos que lá estavam e logo conquistamos o bar, houve até um gajo que nos ofereceu “ganza” para a malta vender, dizia ele que era para nos ajudar nas despesas da viagem …quem pode esquecer a viagem a Campomaior em que o Mete Nojo do Lima (agora agente da PJ … pelo menos em Filme) na área de serviço de Leiria começou a lamber a cara ao segurança enquanto a malta fugia com umas recordações…quem pode esquecer as incursões aos fans, aquilo é que era festa da grossa beber cerveja, jogar matrecos, e partir aquela merda toda …quem pode esquecer quando eu estava quase à porrada com o Açoriano na área da Mealhada e chega um gajo ao pé de mim para eu ver se ele tinha os stop carro ligados, “ Vai mas é pó caralho!!! Seu filho da puta!!!”…quem pode esquecer, os atrasos do Gordo, a bicicleta e o garrafão do TT, as batidelas de carro do Viagra, as canções do Tony, o reformado das forças armadas “Manel” a pedir borlas às putas, as viagens a Vigo, ao Algarve, ao Euro, os bares de strip, as confusões, as bebedeiras, as fumaradas, as tochadas, as vitórias, as derrotas … o Kapo, o Grupo Manks !!!


Um Abraço aos Velhos da Mancha Negra.

Amável Prata"

Como refiro no titulo a familia ausenta-se não se afasta...

JP74

1º Troço - A ida ao Europeu de 2000 (episodio 3)

Lá seguimos na autoestrada quando a constatação da existencia de um video no autocarro nos levou a fazer uma vaquinha para comprarmos um filme na próxima estação de serviço. Chegamos á estação de Elvas, como é habitual em Junho estava muito calor. Fomos para a sombra e decidi ir comprar o filme. Como nas estações de serviço a escolha não é muita , decidimos comprar um maravilhoso filme de suspense e acção, cujo nome não me lembro, que na caixa anunciava uma penetração anal DUPLA. Isso mesmo companheiros, se a vossa miss achar que não vou deve deixar voces comerem o rabinho dela porque é muito apertado, digam-lhe que já viram um filme em que naquela garagem cabem 2 carros. Quando estavamos todos a bordo prontos para partir faltava um elemento na nossa comitiva. O Gordo. Como era possível alguem perder-se numa estação de serviço minuscula? Vossos encontra-lo a dormir debaixo de uma arvore a ressonar e tudo! Isto é veridico, explicou-se assim porque no Alentejo não se passam muitas coisas, é do clima e não das pessoas.
Na viagem para Madrid a excitação era muita e tudo correu bem até lá chegarmos. Chegamos ao hotel , quase á hora do jantar. Como é habitual nas mesas espanholas o pão duro estava por todo o lado, e logo na 1º refeição começaram as queixas daquele que se queixou da comida a viagem todo. O Roger. Lembro-me que fiquei num quarto triplo com o Amigável Sociável e o Roger. Claro está a primeira coisa que o Amigável fez foi pendurar em cima da cama um simbolo portugues.

terça-feira, janeiro 24, 2006

Uma questão de Mentalidade

1985-Velha Guarda
No passado Sábado no jogo contra o Nacional tive de estar mais uma vez na pista de Tartan no inicio do jogo para mais uma vez fotografar a Mancha, para deste modo recolher mais algumas fotos para a minha colecção (os meus fotografos oficiais falharam, lol), sim faço colecção de fotos e em papel, para espanto de muitos dos ditos ultras da Nova Guarda. Devido a este facto pude constactar uma outra realidade do que é a Mancha. E uma realidade que me levou a escrever este post:

1- a entrada para dentro do estádio é feita a tarde e muitas más horas, somente com 15 minutos de jogo o sector se encontra composto.
2- O material que está espalhado pela bancada não morde, se pegarem num estandarte ou numa bandeira e ajudarem a colorir a bancada estes não vos mordem, já que ao menos não se dão ao trabalho de pintarem uns levatem-nos ao menos...
3- Cantar um bocado dava geito, será que a atitude tida por muitos dos elementos da Mancha quado vão fora não a podem manter em casa?? Será que meter a conversa em dia é mais importante, se vierem mais cedo para o estádio, vêem o aquecimento da equipa metem a conversa em dia e durante os 90 minutos apoiam e cantam pela Brosa, que bem precisa...
4- Ter trabalho a fazer frases, e depois ser um frete levantá-las também é um aspecto a rever...

1985-Velha GuardaEste desabafo é somente para que conste que esta não deverá ser uma forma de estar para quem gosta e é da Mancha, se te revês nestes 4 pequenos pontos, altera o teu comportamento, ou muda de sector pois não és ultra ou então muda de atitude, participa, sê ultra dignifica o teu cartão (MN)


Saudações aos verdadeiros ultras...
JP74

Viagem a Setubal

1985-Velha Guarda Na proxima Segunda Feira, a Académica desloca-se a Setubal, em mais um dia próprio para ver futebol, o preço da Viagem com bilhete incluido será de 10 euros, sendo que as inscrições devem ser efectuadas até as 24h de Quinta Feira, na sede da MN . A saida rumo ao Sado será as 15h junto há sede da MN

A Partida - A ida ao Europeu de 2000 (episodio 2)

Tinha combinado com a malta encontrar-me com eles no Campo Pequeno , onde os autocarros da Pringles iam nos buscar. Na noite antes tinha ido ver os Cranberries ao Pav. Atlantico mas a minha cabeça não estava lá. Pensava apenas nos aspectos da viagem que me eram desconhecidos. Como é que eram os autocarros? onde iamos parar no caminho para lá? Quem seriam os outros vencedores do concurso que também iriam na viagem? Ao sair de casa , a verificação dos costume. Consulta Saldo de Conta. 3 contos. Ia passar 11 dias fora de casa e só tinha 3 contos na conta. O JP tinha dito que a viagem incluía tudo. Se assim fosse não precisava de dinheiro , apesar de 3 contos parecerem-me pouco.
Bem , saio de casa do André, metro até Campo Pequeno. À hora marcada aparece a malta de Coimbra, melhor da Figueira , melhor da Cova Gala essa terra maravilhosa que apesar de nunca ter produzido um presidente da républica, como os Açores produziram 2, produziu , na minha opinião , o maior ultra nacional. JP74.
No Campo Pequeno começaram as primeiras provocações e filmagens. A representante da agencia de viagens encarregue da viagem, a Halcon, era podre de boa e claro está não me fartei de olhar para aquela bunda magnifica e pensar no que seria encostar lá a minha bochecha. Depois olhei para os outros grupos. Um deles eram um conjunto de adolescentes da Baixa da Banheira. Pareciam rapazes porreiros , apesar de não entender o dialecto deles que incluía palavra bué e iá muitas vezes. Enfim, putos estupidos como o JP dizia que estavam histérios por ser esta provavelmente a sua primeira saída do país para não arriscar de casa. Começo a olhar para o 2º grupo e vejo um conjunto de pessoas mais velhas, assim por volta dos 40/50 anos. Aproximo-me e aquele sotaque não engana. Micaelenses, ou seja nativos da Ilha de São Miguel, provavelmente o sítio do mundo onde existe mais disparidade entre a qualidade do sítio e das pessoas. Só para ficarem esclarecidos, São Miguel é lindissimo mas pessoas são uma merda. Então comecei a fazer contas de cabeça, 3 grupos , cada um com 11 , 33 pessoas , se calhar vamos todos num autocarro!! Como devem imaginar , foi uma alegria quando chegaram 3 autocarros da Pringles, cada um para um grupo. Isso sim era qualidade!! Desejosos de partir , entramos no autocarro, e conhecemos o Paco, o nosso motorista , que por sorte era o mais profissional do grupo de motoristas mas também muito simpático. Apesar de ser espanhol. Partimos e pera aí , estamos a ir no sentido errado , Paco onde estás a ir pá, não é praí!!!! Aparentemente um dos cromos açorianos tinha-se esquecido do BI nos Açores e tivemos que ir ao aeroporto esperar a TAP de S.Miguel , onde um passageiro trazia a identificação de um deles.
Depois de quase 3 horas á espera no parque do aeroporto, desesperantes, partimos e ao passar a Ponte Vasco da Gama ouvi a 1ª ameaça
"Açoriano, tu nem a Madrid chegas!! vou-te infernizar a vida" by Amável Sociável

segunda-feira, janeiro 23, 2006

Regresso do Nightmare - A ida ao Europeu de 2000 (episodio 1)

Corria o ano de 2000. Por ser o meu ultimo ano de universidade e por ter acabado de regressar de um ano em Erasmus no Reino Unido , estava com a cabeça voltada para viajar. Passei o ultimo ano a viajar e não assentava em Coimbra mais do que 2 semanas sem ir a algum lado. Depois de um ano disso , encontrava-me numa bela esplanada em Lisboa, a beber um sumo de laranja onde confraternizava com amigos de infancia que ainda não tinha visto nesse ano. Partilhava com eles o meu cansaço daquele ano e de como não andava a estudar nada. Estava a por em risco o fim da minha licenciatura e tinha decidido entrar num periodo de reclusão em casa, a estudar e a restabelecer habitos de normalidade. Estava feliz por ter tomado essa decisão, pois achava-a muito madura e responsável. No preciso momento em que estou a confidenciar isso aos os meus amigos, recebo uma chamada. JP74 no visor era igual a não deve ser boa coisa do meu pensamento. Aqui tento fazer descrição pormonorizada:
Açoriano - Tou JP , então tudo bem?
JP - É pá tudo bem, pá , que vais fazer nos próximos tempos?
Açoriano - Olha até parece de propósito, tava mesmo aqui a dizer aos meus compatriotas que vou descansar uns tempos e ver se estudo para acabar o curso antes do verão, porquê ?
JP - É pá, queres ir ao Europeu , num autocarro, com mais 10 malucos com hoteis , bilhetes e comida tudo á borla?
Açoriano - O QUÊ?!??!?!?!
JP - É pá, queres ir ao Europeu , num autocarro, com mais 10 malucos com hoteis , bilhetes e comida tudo á borla?
Açoriano - Ó cara.... percebi á primeira , mas como é que é isso?
JP - ganhei o prémio das Pringles, os gajos oferecerem tudo. Vamos aqui a malta da Mancha ver o Portugal Inglaterra
Açoriano - É pá, já disse a toda gente que agora ia ficar por casa a estudar . O jogo é dia 12 de Junho e tenho exame de Estatística a 18, como é que vou fazer?
JP - pá tu é que sabes , mas oportunidades destas não aparecem duas vezes na vida
e continuou. Entre o sentido de dever e o da irresponsabilidade de ir para a Holanda na ultimo época de exames do curso parece-me obvia a escolha que fiz.
Fui á Holanda, vi o melhor jogo da selecção de sempre, mandei um postal de Amstardão á minha professora de Estatística, estudei no autocarro nas longas horas de autoestrada. Passei á cadeira e acabei o curso. Ainda hoje penso que se soubesse que sei hoje nunca tinha tomado essa decisão irresponsável. Ainda bem que na altura pensava de outra forma. Ia ficar com esse jogo entalado na minha vida para sempre.

quinta-feira, janeiro 19, 2006

Flashback - 2! Minha primeira vez na Madeira

1985-Velha Guarda A minha primeira viagem à Madeira começa em Taveiro onde estava a trabalhar. Quando vi o telemovel a tocar e a dizer JPKapo pensei logo "O que é que este quer que eu desenhe agora?". "Queres ir à Madeira?" ouvi eu do outro lado, sabendo ele da minha situação económica deve ter levado com uma resposta do genero "vou já de táxi". Depois lá me explicou que tinha havido um sorteio da Académica e um dos concorrentes não reclamou a viagem a que a Direcção da Académica resolveu entregar e bem a quem mais km faz atrás da Académica, a Mancha Negra. Depois de uma breve reunião entre os elementos que iam para a Madeira decidiram vender a viagem por 75 euros.
Saí no Sábado de expresso para o aeroporto de Lisboa à espera que a comitiva da Académica chegasse. Entretanto encontrei o outro concorrente que tinha ganho a viagem à Madeira, trocamos umas palavras sobre a Académica e aguardámos uns momentos até que apareceu a comitiva da Académica. A viagem foi calma e mesmo o que todos temem na ida a Madeira, a aterragem no aeroporto, foi calma.
À minha espera estava o Camões e a Tânia, o resto da malta estava a dar voltas na Madeira e a curtir com o Roger no Caldeirão a ver o "marêtmo" vs boavista.
O Meeting point com o pessoal foi nas piscinas. Quando estava falar com o Camões e Tânia aparece uma coisa com 4 Rodas castanha de alto a baixo, os banhos de lama são caracteristicos na Madeira, com 4 Gordos lá dentro, ainda hoje me pergunto como é que aquele carro se mexia? Os gordos sairam do carro e parecia o concurso do calção de banho mais feio! Depois do concurso baleia branca fomos para a Pensão, grande concurso de mergulhos... eu como não estava previsto a dormida,tive que ficar na marquize do quarto, numa cama improvisada de cobertores e baratas, mas isso é mais para a frente.
Depois dos banhos tomados e que massacre foi.... fomos para o jantar, as famosas espetadas da madeira. Depois de tantas curvas cheguei lá com pouco apetite que depois ganhei ao ver as espetadas decoradas com louros e umas coisas de milho frito e etc. saí de lá redondo e felizmente no regresso não saiu nada cá para fora.
Depois de uns bares nada de especial regressámos à pensão, quando estava prestes a cair na cama vi uma barata a dirigir-se para a cama e chegou lá primeiro do que eu, foi o suficiente para por o quarto de pantanas à procura da baratinha que desapareceu no meio da minha cama. Curioso é que nunca mais vi a barata e como fui o unico a ver ninguem acreditou, até aparecer alguem a dizer que tinha visto uma barata.
No dia seguinte acordamos todos e o BA quis ir comprar o Jornal quando abrimos as janelas do quarto estavam os Senhores que alugam os Carros na Madeira a olhar para as camadas de lama que estavam sobre os carros, a parte mais engraçada é que na Madeira não havia lavagens automáticas, alguem teve de pagar as favas.
Depois dos banhos tomados e das malas arrumadas saimos da pensão e quando o gerente chegou cá fora o Amavel resolve dizer ao homem "olhe que este rapaz não pagou, ele dormiu mas não pagou" mas de uma forma convicta, mas o homem so abanava a cabeça e passei sem pagar o quarto.
Fomos comer qualquer coisa rápida pois o transporte para a Choupana estava a chegar.
Ao fim de mil curvas e subidas que mais valia levar corda para escalar chegamos ao dito "estádio de futebol". Depois de termos apoiado a nossa Briosa com chuva de assobios e ameaças e dos bombos terriveis lá chegou o final do jogo com uma derrota injusta para a Académica. Despedi-me dos meus colegas que iam mais cedo para Coimbra, quanto a mim tive que aguardar pela comitiva da Académica e depois do jantar pago do meu bolso fomos para o aeroporto onde o Prof. Mário Monteiro discutia com o arbito(que sorte tiveste de não ir no Vôo anterior)por causa de um lance que ele nos havia prejudicado.
Chegado a Coimbra lá tive eu que fazer uma caminhada que já não estava habituado do pavilhão até celas com a mala às costasa, a fazer recordar os tempos em que tinhamos de ir colocar a faixa 4 horas antes do jogo... mas estas perípécias ficam para mais tarde...

Flashback - 1! Viagem a Guimarães!

A Académica tinha regressado à primeira Divisão, e quis o sorteio que o primeiro jogo seria com a equipa que nos tinha feito descer à segunda divisão, o Guimarães.1985-Mancha Negra
Estava a almoçar em Vilar Formoso acabado de chegar de Madrid quando li no jornal que a Académica jogava naquele dia com o Guimarães, começou logo a crescer a ansiedade de chegar a Coimbra e de me por em contacto com os amigos para saber como é que era da viagem(na altura não tinha telemovel). Chegado a Coimbra liguei para o JP que me disse que iam arrancar de carro às 5 da tarde para Guimarães, eram 4:30 ainda deu tempo para tomar um banho e ir ter com a malta ao pavilhão.
Quando cheguei lá reparei eram só iam 2 ou 3 carros(pessoal em férias é o que dá). Arrancamos como de costume atrasados, mais uma vez o JFK estava a descer o elevador à 30 minutos.....
A ansiedade começou a crescer à medida que nos aproximavamos de Guimarães, ninguem sabia como iamos ser recebidos, depois do caso N'Dinga.
Com os carros estacionados fomos à procura das bilheteiras, quando perguntamos a um vimaranense onde eram as bilheteiras a resposta foi"os N'Dingas, os N'Dingas são lá para o cima".
Depois de adquiridos os bilhetes fomos para a nossa bancada que por sinal tambem era partilhada por vitorianos(liga exige um sector separado para adeptos forasteiros). Entretanto começam a chegar mais Manchas à bancada, Paulo Roberto & Companhia mais os "Santa Casuals". O jogo começa, assim como o nosso apoio, que tambem é logo notado como demonstrou a valente assobiadela.
O momento alto foi quando o João Campos enviou a bola à trave e silenciou o estádio, que nós aproveitamos para lançar um valente "Académica, Académica, Académica...1985-Mancha Negra que mais uma vez levou com outra monumental assobiadela. Entre muitas provocações de adeptos Vimaranenses e depois de alguns insanes tentarem passar para a nossa bancada o jogo lá chegou o fim com um empate.
Agora é que iam ser elas, como ía ser o nosso regresso aos carros? Antes de sairmos do estádio começou uma chuva de calhaus que batiam no portão, alguns vitorianos tambem ficaram à espera que a policia intrevisse para que a chuva de pedras parasse. Depois da chuva de estrelas acabar regressámos aos carros e voltamos para Coimbra satisfeitos com o empate.
Para mim foi mais um dia cansativo entre uma viagem de Madrid - Coimbra - Guimarães - Coimbra, a unica recompensa que tive foi o empate e o convivio entre amigos e mais uma experiencia de vida.

Branco

quarta-feira, janeiro 18, 2006

3 em 3 - Viagem à Luz

1985-Mancha NegraNuma semana em que se jogaram 3 jogos, a Briosa fez o pleno 3 jogos fora.
Numa altura em que o dinheiro não abunda uma deslocação ao Estádio da Luz levava a crer que apesar das dificuldads económicas tivesse havido mais adesão por parte dos Ultras da Briosa. Este é sempre uma jogo em que todos gostam de ir, no entanto não é por isso que o jogo foi melhor ou pior. Dois autocaro apinhados de gente fizeram-se à estrada, cheios de esperança em alcansar mais uma vitória para os lados da capital.
1985-Mancha NegraChegamos ao estádio 20 minutos antes do incicio do jogo, como somos de uma claque as medidas estramente rigorosas impediram-nos de entrar mais cedo. Entramos já o jogo estava a começar. É por estas e por outras que às vezes dou razão aos rapazes que estão na sul do Estádio da luz, andam por onde querem ninguém os impede de entrar à hora que querem, sentem a liberdade de ser adepto. Agora só porque pertencemos a um grupo organizado temos de sofrer este tipo de repressão porque??
Assim que assentamos arraiais, logo aquele penalty estremamente duvidoso. Foi um balde de água fria nas nossas aspirações. Mesmo a perder e claramente em inferioridade numérica para os grupos da Luz, não nos calámos e momentos houve em que todo o estádio nos ouviu.
Mais uma vez deixo um reparo para o sector visitante do Estádio da Luz que é uma merda, nem para colocar a faixa do grupo se consegue.
No final do jogo ainda conseguimos apesar do sempre apertado controlo policial estar com a malta amiga do Grupo Manks, uma abraço aos verdadeiros...

JP74

MN sempre critica e atenta ao dia-a-dia da instituição

Taça de Portugal a festa do povo

Após uma desgastante viagem à Madeira, alguns dos ultras nem pousaram as malas, seguiu-se logo para o Algarve para assistir ao jogo Louletano- Académica. Festa da Taça dizia-se à uns anos... mas para se fazer uma festa é preciso haver disponibilidade de tempo e a maioria dos Portugueses nos dias de semana trabalha, logo não pode estar presente na festa da Taça.
Esta é a prova que as instituições que gerem o futebol Portugues em nada o defendem, a Taça de Portugal existe para que os clubes de menor nomeada possam apanhar clubes de divisões superiores para deste modo poderem alcançar maiores receitas e equilibrarem orçamentos, agora como os Srs. do futebol marcam os jogos da Taça para meio da semana, essa festa deixa de ter expressão, salvo raras excepções. Sinceramente não sei para onde querem levar com o nosso futebol, tenho pena que assim seja... Tenho saudades de ir aos locais mais distantes de meios rurais onde o jogo da Taça pareceia uma festa popular, onde quase toda a população ia ao jogo, porque tinha opurtunidade de ver os jogadores que normalmente só viam nos jornais e TV.
Da nossa parte tentamos fazer o que sempre fazemos em todos os jogos, para nós ultras todos os jogos são uma festa e lá fomos em 2 carrinhas e 2 carros tentar alcançar mais uma vitória que desse algum alento ao nosso sonho, chegar à final no Estádio do Jamor.
Depois de um jogo muito mal jogado e de um prolongamento fastidioso, o jogo resolveu-se na marcação de grandes Penalidades, Dani esteve e grande.
Como reparo deixo algumas palavras para os jogadores, que deveriam ter sido muito mais efusivos com os adeptos presentes nos festejos da passagem à ronda seguinte. O esforço e dedicação deveria ter tido outra demonstração de Agradecimento, problema este que tenho vindo a detectar ao longo dos diversos jogos, são sempre os mesmos 3/4 jogadores a agradecer o apoio.

Força Rapazes Vençam por nós...

Viagem à Madeira



Finalmente consegui ter as fotos da Viagem à Madeira.



Não estávamos muitos no sector visitante, mas a qualidade esteve presente, e o apoio não se deixou de fazer. Sempre que a voz consentia lá iamos cantando e gritando pela Mágica Briosa.
A rede fez os ultras da Briosa matar saudades de outros tempos e como prometido por alguns ao golo iriam à rede, e assim foi...


No final um empate justo que deu alento para quem acabara de realizar perto de 3400 km's.


Força Briosa Vence por nós...

quinta-feira, janeiro 12, 2006

SEMANA PARA LOUCOS OU TALVEZ NÃO...

Semana para loucos ou talvez não… Serão cerca de 5000 Km’s que alguns ultras da Mancha irão fazer nesta semana. Primeiro a viagem à Madeira, depois a meio da semana uma deslocação a Faro para o jogo da Taça com o Louletano e por fim uma deslocação a Lisboa para jogar com o Campeão Nacional.
O que levará este tipo de gente a faltar ao trabalho numa sexta-feira, gastar quase metade do ordenado numa só viagem à Madeira e ainda a voltar a faltar numa quarta-feira ao trabalho para ir para Faro ver um jogo da Taça de Portugal??? Mentalidade, atitude, grande amor a um clube (Briosa) e amor a uma Claque e ao Grupo. Pessoas como estas podem falar, opinar ter opinião sobre o Mundo Ultra, agora ultras dos teclados e dos blogues mais lidos da Net acho que pouca moral tem para julgar as atitudes de pessoas que andam e fazem muitos km’s e limitaram-se a dar opinião e contribuir, não ser carneiro e dizer simplesmente amén.
Viagem ao Estádio Faro-Loulé, para muitos o Estádio do Euro que faltava no Curriculum. Foi uma viagem à antiga… 2 carrinhas atascadas de malta, leitão e bebida 2 carros cheios de malta com vontade de ganhar. A viagem valeu pelo convívio, certamente estava a fazer falta a muita gente este tipo de viagens, no entanto como sempre e à boa maneira de um estádio de divisões secundárias, apesar deste ter sido do Euros 2004, a cerveja tinha álcool. Já se está a ver muitas deslocações ao Bar retiravam regularmente alguns contingentes ao Grupo. Como o jogo durou 120 minutos e a cerveja continuava a correr, as tolerâncias a provocações ia diminuindo e numa atitude de defesa do bom nome do grupo, surgiram algumas respostas que levaram a que os ânimos estivessem exaltados… nada de especial que o inicio do prolongamento não acalmasse e resfriasse os ânimos.
No final do Jogo uma vitória sofrida até aos Penaltys. Quanto aos jogadores bem que poderiam ter festejado e agradecido de uma forma bem mais efusiva aos poucos ultras presentes, que muito esforço fizeram para estarem presentes, se calhar tinha sido a melhor vitória...
No final o melhor da festa, o Leitão que estava na carinha para aconchegar o estômago para a viagem até Coimbra…
Honra aos ultras que estiveram presentes…

PS- Brevemente fotos disponíveis, ainda é ao Velho Estilo máquina com rolo, e como este ainda não acabou…

JP74

Viagem à Madeira

A viagem começou como sempre com muita antecedência. Apesar de já não ser a primeira vez que vou à Madeira, mas a ansiedade está sempre presente.
De madrugada lá fomos, alguns de expresso até ao Aeroporto, outros deslocaram-se de Carro. No Avião sempre a mesma história, elogios às hospedeiras e a todas as tesudas que estavam a Bordo. O Avião não estava cheio, lá na frente iam uns carrrrapaus grrrelhadinhos de Setúbal, malta não ultra. As hospedeiras não gostaram muito dos elogios e durante a viagem houve malta identificada, para mim era para ficarem com o telemóveis deles, mas a exaltação levou a que a malta já em terra fizesse o mesmo e apresentasse queixa contra a moçoila.
Começava bem a Viagem… No hotel o habitual, a qualidade de sempre… A malta estava toda rota e decidimos ir dormir. De noite fomos comer a famosa espetada, desta vez decidimos jantar no restaurante de um bacano que nos ajudou na viagem passada a chamar táxis para a malta. Comeu-se bem e bebeu-se ainda melhor…
Depois já na noite aconteceu o insólito, Tsunami das Beiras aconselhou-nos um bar novo, como sempre a malta queria ir para o Strip, mas nada, acreditem que nem lá fomos durante a nossa estadia… Fomos parar a um bar chunga, como gosta o tsunami, mas em vez de um bar de putanheiros fomos parar a um bar de Punheteiros. Acreditem gajos a babarem-se a verem umas gajas vestidas e dançarem uma chungaria…
Depois foi sempre a rasgar pelas discos da Madeira.
Sábado a malta acordou toda ressacada, almoçou e fomos para o Estádio ver a Grande Briosa. A fé era muita para alcançar um bom resultado, o Rui Mário estava connosco e nunca tinha perdido nas viagens à Madeira. Jogo à antiga pouca gente no sector da Mancha, mas muita garra em todos os presentes. Primeira parte sempre a cantar, poucos mas foi até não dar mais. Após o enorme desgaste, a segunda foi aproveitada para retemperar as gargantas, o resultado estava adverso. Com um golo a cair do céu a malta animou-se novamente e foi sempre a dar-lhe até ao fim.
Depois do jogo fomos convidados a ir jantar num restaurante ao lado da sede do Esquadrão Maritimista. Um serão inesquecível, aquelas almas até fogo de artifício lançaram…
Copacabana acabou por ser o nosso próximo destino, aqui brilharam os RUC’s, mais propriamente o T… e as horas de paleio dado, até cansou a quem assistia.
No domingo foi acordar e vir para o Continente, isto para quem trabalha porque para quem tem vida boa acabou por ficar até segunda na Madeira. Os novatos aproveitaram para conhecer melhor o jardim do Atlântico.
Enfim uma viagem muito soft, viemos de lá se ver o novo material do fugitivo e do jaguar, já nem teve o mesmo sabor esta viagem á Madeira.

JP74

PS- Esta viagem ficou marcada pelo regresso do Camões às Curvas a cantar e a tifar, depois de deixar de ter preocupações na organização das Viagens passou também já cantar e tifar como todos os outros.

Adeptos de Futebol ou das Vitórias?

Será o publico português adepto de futebol ou das vitórias?
Sinceramente acho que o publico português é adepto das vitórias, é a unica explicação que encontro para o facto de normalmente na ultima jornada do campeonato se registarem as maiores enchentes nos estádios. Acho que as pessoas preferem ir aos estádios nessas alturas para fazerem parte de uma festa, tanto pode ser a manutenção, como uma subida de divisão ou um titulo. mas as pessoas não reparam que o futebol é festa e que essa festa pode ser realizada todos os fins de semana.
Para mim no futebol o que me dá gozo são claro as vitórias da Académica, mas não é a unica coisa que me motiva a ir ao futebol. Fazer uma coreografia e ver que o efeito desta incentiva jogadores e causa espanto a quem a observa.
Significa que as horas bem passadas ao lado de amigos a desenhar, a pintar, mandar bocas o convivio por ela gerada e a troca de ideias enriquecedoras para a vida, é aí que vivo as vitórias do futebol.
Quando a coreografia não sai bem para mim é como uma derrota da Académica.

Branco

terça-feira, janeiro 10, 2006

VIAGEM À LUZ

A MN Tours está a preparar a deslocação ao Estádio da Luz. Todos os interessados em apoiarem a Briosa com os ultras da Mancha Negra poderão fazê-lo, basta para isso inscreverem-se na sede da Claque até à próxima quinta-feira até às 24H00. Os preços da Viagem e Bilhete para o jogo, são de 20 euros para sócios e de 30 euros para não sócios da claque. Saida às 14H30 no domingo dia 15 de Janeiro.
Para mais informações contactar com Miguel pelo tlm 919485361.

quarta-feira, janeiro 04, 2006

Protesto Ultra Nacional!!! Moda ou Afirmação?

Queria deixar expressa a minha opinião sobre uma ideia que surgiu na Net, nos blogues Ultras, para a realização de um protesto a nível nacional de todas a claques na próxima jornada.
Por principio estou de Acordo com a ideia de realização de uma Manifestação contra o Estado do Futebol Moderno. Sempre fui dos que mais alertei e tentei que a Mancha estivesse sensibilizada para esta problemática.
No entanto como não há bela sem senão, a forma como todo este processo está a ser desenvolido é que me leva a ter algumas reticencias...
Lembro os mais novos que por ocasião de um comgresso de Claques realizado em Leiria, surgiu a ideia de todos os grupos levarem uma faixa para os estádios. Essa faixa dizia o seguinte "Porque nós existimos"... sabem qual foi o resultado? Ninguém ligou puto nem os nossos objectivos foram alcansadados.
Agora voltam a surguir ideias de se voltar a colocar frases na rede. A mim sinceramente a ideia é válida, mas parece que surge divido a uma moda que está a pegar em Portugal (já surgiu em Itália à pelo menos 3 anos e frança idem) que é a luta contra o Futebol Moderno.
Se estamos contra o Futebol Moderno a ideia surgiu nas cenas modernas, surge na net, os mentores comunicam por SMS, não há contacto humano entre as pessoas, para onde se quer levar uma ideia que originalmente era boa, mas por outro lado estão a querer dar cabo dela. O contacto humano as relações pessoais onde ficam??? A génese da cona ultra do grupo da amizade das relações ficam aonde?
Não concebo que após o surgimento desta boa ideia não se aproveite para fazer uma coisa em grande, juntar os lideres do maior número de claques possivel, debater o assunto e acima de tudo não limitar a iniciativa a uma frase, frase esta que deveria surgir de um consenso.
Outra coisa que também me irritou foi o facto de ver o nosso grupo envolvido nesta temática sem a sua direcção ter confirmado junto dos organizadores que iria participar.
Relembro todos que a Mancha já à pelo menos 3 aos que vem alertando para esta temática do futebol moderno, das transmissões televisivas, dos jogos em dias e horas imprórpiras e dos preços dos bilhetes. Por acaso não me lembro de nenhum dos grupos ter assumido connosco esta luta, tirando a Torcida Verde e recentemente a Fúria Azul
Relembro sou a favor da ideia, no entanto acho que a mesma deveria ter sido debatida por quem representa os grupos, os seus lideres e direcções e sobretudo que a iniciativa tivesse outras acções agregadas, nomeadamente com apresentação de ideias para a resolução dos problemas:
- Bilhetes caros- Tabelar e qualificar os jogos pelo indice de interesse. Pegar na tabela classificativa e definir jogos:
a) indice 1- entre equipas classificadas entre os primeiros 6 classificados- Preço minimo bilhete 15 euros.
b) indice 2- entre equipas classificadas entre o 6º e 12º lugar- Preço minimo bilhete 10 euros
c) indice 3- entre equipas classificadas entre o 12º e último lugar- Preço minimo 5 euros.
- Ciranças até aos 12 anos não pagam bilhetes para jogos de indice 2 e 3.
- Transmissão máxima de 3 jogos por fim de semana, dois em sinal fechado e 1 em sinal aberto, ao Sab e Dom. Os jogos em sinal fechado o adepto aderente por Ex à Sport TV poderia ver o jogo pré destinado, mas se entender ver outro jogo, não o inicialmente proposto pela grelha de programação, podia ver mas teria de pagar uma sobretaxa no valor do Bilhete indo ao estádio.
- Jogos a Horas e dias decentes, todos os jogos deveriam ser realizados aos Sabados ou Domingos e seriam realizados entre as 11H00 e as 19H00
Acho que a iniciativa deveria ser realmente marcante e a par da colocação de uma faixa decidida por todos. Deveriam existir outras iniciativas, tais como informações à imprensa onde deveria constar a nossa leitura do estado actual das coisas com as nossas propostas para se melhorar, ausência da bancada nos primeiros 10 minutos de jogo, como os jogos são a dias e horas diferentes as faixas dos demais grupos deveriam aparecer nos sectores das claques da casa e das dos visitantes.
Assim sim demonstravamos que estavamos unidos e a lutar por uma causa.

São só algumas ideias que a Velha Guarda deixa, quer pela experiência já adquirida, quer pela vontade de lutar para mudar este estado de Coisas.

Por um preço popular para o Desporto mais popular
Ultras contra o Futebol Moderno

JP74

segunda-feira, janeiro 02, 2006

Viagem à Madeira

Ora aí está uma das viagens que mais gosto de fazer... A viagem ao Jardim do Atlantico, terra do Ti Alberto. Para quem não tem deslocações à Europa a viagem à Madeira funciona como um tónico de substituição das mesmas...
Estas sempre foram viagens especiais, o Espirito reinante na malta é de total liberdade, é um fim de semana sempre em grande, como diz o Roma "sempre à Grande".
Desde a minha primeira Viagem à Madeira, onde ficámos 9 ultras num quarto a dormir em bliches às viagens em que ficámos no hotel Jardins da Ajuda, sempre curtimos à grande. Foram vários os locais por onde passamos e deixá-mos marcas, até encontrarmos aquele que para nós tem constituido o nosso Quartel General. Piscina interior e exterior, bons acessos aos quartos (à noite convém) e proximidade da Marina, é o ideal.
O famoso Rally da Madeira não pode faltar, é aproveitado para levar os caloiros a conhecerem a Ilha. O cheiro à borracha chega a enjoar os estomagos ressacados.
A Marina e o Santinho já enojam, mas são paragens obrigatórias anos após ano, assim como a promessa de irmos passar uma tarde a Porto Santo, todos os anos deixamos no ar... para o ano é que é...

A Noite é a desgraça, Casino não falha assim como grandes invasões ao Fujitivo e ao Jaguar. Esperemos que este ano estejam com mais qualidade.
A jantarada em familia não escapa e as famosas espetadas são uma maravilha.Esta Vida de ultra é um regalo.
A todos os que têem dúvidas se vale a pena o sacrificio, apesar de a Briosa não estar a jogar nada, e de a vida estar dificil, acho que pelo momentos vividos, entre os membros da MN, pela relação de amizade, vale bem a pena.
Aos que cá ficam restalhes ouvir o relato da ruc e acompanhar a reportagem dos reporters junto dos ultras de como correru a noite e ficarem roidos de inveja...

JP74