quarta-feira, março 24, 2010

Para reflectir


Apanhei este texto nos comentários, e como há muita gente que já não se dá ao trabalho de ler comentários, ou em alguns casos grandes baboseiras que lá se escrevem e que nada dignificam ninguém, entendi chamar a um post o referido texto.
Primeiro porque após ler o texto revejo-me muito nele e para mim significa muito do que é ser um ultra...
Depois porque em Portugal voltou-se a falar mal das claques, e em meu entender está-se a criar uma bola de neve de violência, que está a crescer de jogo para jogo. Como a imitação reina neste pequeno mundo ultra Nacional, não queremos que essa mesma bola atinja grandes dimensões de tal forma que a violência se transforme numa bola desgovernada. Deixo o referido texto para as pessoas reflectirem um pouco do que os leva a estarem e participarem na vida de uma claque, o que os leva a estarem juntos na bancada e sobretudo o que deverá ser a sua atitude no seio de e uma claque e mais propriamente na Mancha Negra, não é discurso meu mas revejo-me em grande parte dele:

DEFINIÇÃO DE ULTRA:
Um ultra não revela o nome, apenas os amigos mais próximos sabem disso. Um ultra não mostra o rosto, quase sempre tem a cabeça coberta com um capuz e o rosto com um lenço. Um Ultra não gosta de se vestir como os outros e não gosta da moda ou da última. Ao descer a rua, apesar de não usar crachás, ele é reconhecido. Um Ultra se for atacado, o outro ajuda-o quando é necessário, já não é Ultra quando tu removes o lenço e vais para casa, enquanto ele luta com toda a experiência na semana.
Um Ultra é um exemplo para a juventude. Eles respeitam os mais velhos Ultras. Os Ultras jovens estão orgulhosos quando estão ao lado dos mais velhos, aprendendo com as críticas deles e coram quando há um aperto de mão a um mais velho
Quando alguém olha para uma Ultra normal, não lhe entende, mas o Ultra não é para ser entendido ou explicar como é. Cada Ultra é diferente, há aqueles que são emblemas de seu grupo ou as cores do seu clube e há alguns que não têm que colocá-los na sua vida. Há aqueles que viajam apenas com o seu grupo e outros que são individuais e são seu próprio grupo.
Os Ultras são diferentes, mas o que os une é o seu amor por o seu clube, a sua persistência para estar na bancada os 90 minutos, á chuva ou frio, são unidos pelo calor de cantar no choro de faixa, unidos em grupos através do centro das cidades que visitam com sua equipa, unidos por um sanduíche que é compartilhado entre as quatro horas após a fome de um cigarro para um estilo, ideal para uma mentalidade. Todas essas coisas nos unem, enquanto estamos separados do resto do mundo dos nossos pais preocupados, dos estupefactos dos nossos primos, colegas de classe ou de trabalho assustados, intolerantes professores ou patrões.
Ultras não é vandalismo ou de violência gratuita, é uma defesa intransigente de uma forma de vida que agora cai em crise com os problemas sociais, e a televisão estúpida, boatos que atraem mais jovens a cada dia, mas mais do que qualquer coisa por uma repressão injustificada.
Ser um Ultra é tudo isso e mais, emoção e paixão que não pode ser explicada em palavras para as pessoas que não querem entender e prefere fechar os olhos e manter a procura através do vidro, as pessoas que não têm ovos para quebrar o vidro e introduzir no nosso mundo.

8 comentários:

Anónimo disse...

ainda bem que colocas-te o comentário que fiz num post...

ha muita gente que nao sabe o que é ser ultra...

abraço

Nuno alves MNcernache

Anónimo disse...

Pena é que não tenhas sido tu a fazer esse texto..

Anónimo disse...

mas ao menos houve alguem que pesquisou...

muito bom o texto...


força briosa

Anónimo disse...

Só falta o texto que existia no antigo site da mancha achando eu que era da tua autoria JP.
Um texto sobre o que era ser ultra e estar numa claque, que para mm um dos texto que me cativou sempre e muito bem redegido.
Já agora acrescentava que ultra é perder em campo e ganhar sempre na bancada apoiar o clube com o grupo de amigos até não poder.

Anónimo disse...

grande texto e grande foto....

Anónimo disse...

e bonito e bonito...mas isso veio a proposito de que ?

Filipe_Duarte disse...

Ontem repliquei esta opinião no meu facebook com a qual me identifiquei ... e que transmite o sentimento ultra "O termo Mentalidade é usado no nosso pequeno mundo Ultra com muita frequência. Mas será que o verdadeiro alcance da palavra é sentido por todos aqueles que a dizem? Sinceramente, parece-me que não. E as evidências são muitas.
Definir Mentalidade é um desafio por si só. À primeira vista, Mentalidade é o que nos diferencia dos outros adeptos. Mas Mentalidade é muito mais do que isso. Mentalidade pressupõe o abdicar de tudo (ou quase) por 90 minutos. Mentalidade é o que nos faz lutar por aquilo em que acreditamos. Quando penso em Mentalidade, penso no processo que começa em arranjar dinheiro para ir à bola, que passa pelo perder de muitos momentos e pessoas e que acaba dentro de um estádio, a cantar pelo clube. No fundo, Mentalidade é o que se passa na nossa cabeça quando agimos em prol de um só ideal (…)
Mas Mentalidade também é uma moda. Se Itália é um modelo a seguir em muitos aspectos, essa imitação também pode ser muito perigosa. Principalmente, quando é massificada pelas novas tecnologias. Se antes as curvas italianas nos chegavam precariamente pela TV ou por revistas estrangeiras, agora basta um clique para viajarmos por um mundo de grupos que nos dão um bocadinho do que se passa no paraíso tricolor. Este processo tem tanto de bom, porque nos ensina muito, como de perigoso, porque estamos mais sujeitos à massificação do espírito Ultra. E isto pode ser muito prejudicial, na medida em que qualquer pessoa sente que possui a tal Mentalidade e, partir daí, apregoa-a como um messias que caiu de páraquedas num mundo feito para alguns eleitos.
Não quero de algum modo dizer que somos geneticamente predispostos a compreender (ou não) esse tal espírito. Simplesmente acho que a assimilação da Mentalidade não se faz de um dia para o outro, com algumas visitas na Internet.
A única coisa que nasce connosco neste mundo é o amor pelo clube. O resto evolui ao longo do tempo. Quando entramos num estádio pela primeira vez passamos a sentir o emblema de outra forma, quando nos integramos num grupo damos outro passo e só ao longo dos anos, com muitos jogos e experiências, é que adquirimos o espírito. A Mentalidade é um sentimento que se constrói com as vivências. E desculpem-me, mas destas não vos falo porque, no meu entender, o que se passa num jogo dificilmente pode ser descrito. Os momentos são de quem os vive.
Não é, então, por acaso que aproveitamos esta palavra para designar o nosso grupo. É sim porque acreditamos que somos capazes de a honrar, mostrando jogo após jogo que a Mentalidade não se apregoa... Pratica-se!" in http://grupomentalidadeultras.blogspot.com/2006/04/mentalidade-ultra.html

BEM REVIVI O MEU BAÚ DAS RECORDAÇÕES E SENTI EXACTAMENTE ISTO DESDE 1996 QD PASSEI A FAZER PARTE DA MN ... VELHOS TEMPOS JP MUNDO ULTRA ESTA A PERDER-SE ... COM ESTAS APROPRIAÇÕES ...
Spray

Anónimo disse...

Briosa ontem,hoje e amanhã acima de tudo!

Sempre a combater contra tudo o que nos queira deitar abaixo! " Ultra um modo de vida "